Coluna informativa BASEADO EM FATOS

Coluna informativa BASEADO EM FATOS


Cresce o debate sobre medicação à base da maconha com o uso por esportistas para aliviar dores.


Paulo Detoni

+ Você sabia? O leite materno possui canabinóides como os encontrados na maconha.

+ O canabidiol, já usado com bons resultados no tratamento de síndromes que afetam o sistema nervoso central, agora está tendo sucesso como analgésico entre esportistas, ampliando o debate sobre o uso dos derivados da Cannabis.

+ A venda em farmácias de produtos à base de cannabis foi aprovada pela Anvisa. Para a venda será exigida a prescrição médica e a receita será retida. A autorização não inclui o cultivo para pesquisa e produção dos medicamentos.

+ A índústria canábica deve sofrer graves consequências por causa do coronavírus. Os investidores que estavam se aproximando certamente darão um tempo, por ser um investimento de risco, além disso vão procurar algum nicho que não sofra interferência da pandemia. A conferir!

+ O SUPREMO RETOMARÁ A VOTAÇÃO da descriminalização da Cannabis em breve, uma polêmica complexa, com fortes argumentos prós e contras, embora tudo indique que prevalecerá a comprovação de que proibir favorece o tráfico, gera violência, induz à corrupção policial e estimula um velho preconceito ancorado em simples achismo.

+ UM ARGUMENTO DE QUEM É CONTRA a legalização da Cannabis no Brasil é que a maconha é porta de entrada para drogas pesadas, mas não há evidências científicas, inclusive a planta é usada com sucesso em tratamentos que buscam reduzir danos, beneficiando viciados em cocaína e crack.

+ A ANVISA DEU UM PASSO IMPORTANTE facilitando o acesso a medicamentos à base do Canabidiol, mas ainda é preciso liberar o cultivo doméstico, condição que após muita luta algumas famílias só conseguiram na Justiça, em decisões liminares.

+ MESMO CONTRA A VONTADE DO PRESIDENTE LÓPEZ OBREDOR, o Senado mexicano aprovou o uso recreativo da maconha, para maiores de 18 anos.
A quantidade para porte foi estabelecida em 28 gramas para uso pessoal. Além disso, fica permitido o plantio doméstico de até 4 plantas.
A Lei de Regulamentação da Cannabis no México permite também o uso investigativo para fins medicinais.